Into the Woods – Caminhos da Floresta

Não há crítica que me tenha custado a sair dos dedos como esta. Mas mesmo. E somente alguma pseudo-integridade literária me impede de me pôr a largar aqui palavrões.

Este filme tinha tudo para ser maravilhoso : é um musical, tem a moça do momento (Anna Kendrick), tem a actriz mais talentosa e experiente de sempre (Meryl Streep), foi produzido por alguém que até sabe fazer filmes musicais (Chicago) e… tem uma componente de excentricidade que resulta sempre bem (Johnny Depp).

Lamento muito mas não é maravilhoso. É uma enorme desilusão.
E daquelas que engana quando recebe uma nomeação para vários óscares com Meryl Streep e Emily Blunt.
Conquanto que consigo compreender as nomeações técnicas, de manequins e mesmo de produção e musicais, não entendo mesmo as nomeações por estas duas senhoras.

São muito talentosas e especialmente Meryl Streep é A potência do Cinema; no entanto não consigo pensar nesta nomeação senão como uma migalhinha de reconhecimento. É de longe a sua pior nomeação para os Óscares e este papel não se enquadra minimamente no nível do corpo de trabalho usual dela.

Nunca esperei dizer isto, mas quem merecia estar nomeada para os Óscares no lugar de Meryl era Carmen Ejogo com a sua prestação em Selma…
Há qualquer coisa nesta versão da Bruxa Má que não resulta. A personalidade frustrada e as tentativas de humor largadas aqui e ali não convencem e acabam por ser um fraco desenvolvimento de uma personagem com imenso potencial.

Into the Woods mistura algumas das mais famosas histórias de encantar que envolvem Florestas, assumidas como a mesma para a coerência do filme. E muito à laia de Maléfica este filme tenta reabilitar a personagem de Bruxa Má. O que não é muito má ideia e até tem uma concretização decente.

O enredo é até minimamente decente dentro do tipo de histórias que se encontram na categoria de Filmes Musicais, e principalmente se equacionarmos que é uma história infantil.

Já a música deixa imenso a desejar. Acaba por ser mesmo a raíz de todo o mal neste filme.
Sou uma apaixonada por cinema musical. Adorei o Smash, chorei a ver os Miseráveis, considero o Chicago uma obra de arte; considerando isso não se pode remeter o meu despeito por este filme para falta de gosto pelo género ou até por falta de hábito.
A verdade é que as músicas não ficam no ouvido. Não são intuitivas, nem emocionantes e tão pouco inspiradoras. As personagens cantam todas muito afinadinhas e gostei muito do tom de voz tanto da Anna Kendrick como da Emily Blunt, no entanto não há emoção!
Quem não se lembra de Anne Hathaway a fazer chorar as pedras da calçada com o desespero com que cantou o I Had a Dream?! O Into the Woods tem 1/100 desse tipo de emoção e entrega.

E que ninguém se entusiasme com a participação de Johnny Depp. Numa aparição de cerca de 10 minutos e 10 frases, a sua versão do Lobo Mau é só mázinha. Boa caracterização e vestimenta, mas de resto…

Um ponto positivo e novo é a referência a dois príncipes encantados. Faz imenso sentido porque senão teria de haver alguma poligamia implícita; no entanto penso que nunca vi nenhuma história infantil com referência a mais do que um príncipe.  Acaba por desmistificar um pouco a ideia fantasiosa de que um príncipe é uma coisa muito única.

Não entra para os favoritos. Aliás, possivelmente entra para a lista de filmes mais desapontantes do ano.
De qualquer maneira vejam…
De qualquer maneira, o que é que eu percebo disto?

Trailler Legendado:

Link  IMDB: http://www.imdb.com/title/tt2180411/?ref_=nv_sr_1
Pontuação d’Ela: 5/10

Advertisements

2 thoughts on “Into the Woods – Caminhos da Floresta

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s